Warning: Creating default object from empty value in /home/super084/public_html/untitled/wp-content/themes/freshnews/functions/admin-hooks.php on line 160

Sobre o Earth Hour e A Mobilização Popular

2 de abril de 2012

Comportamento

No último sábado, dia 31 de março aconteceu o Earth Hour 2012. 135 países, mais de 5.200 cidades em todo o mundo participaram. No Brasil, TODAS as capitais estaduais e Brasília aderiram. E a participação cresce a cada ano.

Mas eu li alguns comentários sobre o EARTH HOUR nos últimos dias e acho que, como biólogo, eu deveria dizer algumas palavrinhas a alguns amigos, leitores e familiares. Acho que eles não entenderam o espírito da coisa.
No Brasil, estamos acostumados à mobilização só quando é para churrasco na casa do amigo, jogo de Copa do Mundo e votação do BBB.

Apagar as luzes por UMA hora, UM dia, muda muito mais do que você pode imaginar.

É claro que se você apaga as luzes como o pessoal no Facebook clica no “curtir” para ajudar bichinhos abandonados e crianças doentes achando que mudaram o mundo só porque “apertaram virtualmente” um botão, o efeito é pouco. A mobilização para um ambiente mais saudável e humano deve ser um procedimento diário, que faça parte do seu cotidiano. Nesse sentido, UMA hora parece muito pouco, especialmente se no dia seguinte você continua a cometer atos de desperdício de energia e água. Mas ainda assim, mesmo que por UMA hora, toda participação é bem vinda.

A mobilização individual é o MEIO MAIS EFICIENTE para provocar mudanças em hábitos e costumes. A cultura muda de baixo para cima, não o contrário. A menos que você ache que o governo deve fazer tudo para você. Neste caso, deixa eu te informar: você não tem mesmo que participar. Aliás, nesse caso até mesmo o seu maior direito como cidadão – o voto – será inócuo.

O boicote, o protesto civilizado, as ações coletivas não são novidade. Greves e protestos foram registrados nos mais velhos tempos. Até mesmo os homens que trabalhavam nas pirâmides fizeram greve por falta de pagamento – naquela época, feita em pão, cerveja e maquiagem! O que muda hoje é a presença da Internet, que permite a mobilização de milhões em todo o globo, divulga ideias e informações de forma rápida e abrangente.

Mas vamos a alguns fatos gerados por meio de BOICOTES e AÇÕES INDIVIDUAIS, todas de origem externa, em especial na Europa:

1. Nike, Apple, Adidas dentre outras marcas famosas mudaram as relações de trabalho e pararam (ou diminuíram) a exploração de mão de obra escrava em países como Filipinas, Indonésia e China, onde mantém suas fábricas porque INDIVÍDUOS começaram a boicotar seus produtos (inclusive esse que vos fala).

2. Uma certa gigante da produção de soja mudou seus planos de construir portos no meio da Amazônia, poluindo e destruindo porque HOUVE UMA CAMPANHA de boicote ao óleo de soja produzido por ela na França, Alemanha e RU, especialmente após o assassinato de ambientalistas que tentavam mobilizar a população local CONTRA a construção do porto.

3. Uma campanha de boicote ao algodão produzido no MALI, com o uso de trabalho infantil produziu mudanças no governo e melhorias nas condições de vida.

4. McDonalds diminuiu os níveis de sal e gordura em seus sanduíches por boicote.

5. Sabem porque o Governo Brasileiro adiantou o programa de RASTREAMENTO da carne produzida no Brasil? Certamente não pela vontade do último presidente ou muito menos dos pecuaristas, mas porque começou um BOICOTE à carne brasileira na Europa, um dos maiores consumidores do nosso rebanho. Não fosse por isso, o programa teria sido adiado mais 7 (sete!) anos.

Todas essas ações não foram fomentadas pelos governos, mas pelas pessoas, cidadãos. Porque se dependermos dos governos para tudo, não conseguiremos nada. Governar dá trabalho, especialmente se for para criar algo bom e duradouro. Politicar implica na concessão de poderes e de favores, portanto quanto menos um governante puder fazer e ainda assim continuar no poder, melhor; mas isso é assunto para outro dia.

Portanto, a ação individual PODE SIM mudar comportamentos e políticas.

Não é o ATO de apagar as luzes, mas de CRIAR uma conscientização sobre o tema.

Em algumas cidades da Europa e Austrália, as companhias de distribuição de energia precisam criar esquemas especiais de distribuição devido à IMENSA participação popular durante essa “mera” UMA hora, em UM dia.

Aliás, participação das mesmas pessoas que ajudaram a diminuir o trabalho infantil e o trabalho escravo, a melhorar o lanche e a carne que VOCÊ, senhor brasileiro, come. Porque VOCÊ, senhor brasileiro, é incapaz de fazer o mínimo por você mesmo e pela cidade e ambiente em que vive.

Porque VOCÊ espera que o GOVERNO acabe com a DENGUE enquanto deixa vasilhas com água parada em casa.

Porque VOCÊ reclama da sujeira das ruas mas não limpa as fezes do seu cachorro quando passeia com ele.

Porque VOCÊ reclama da corrupção mas acha que furar fila ou dar um “jeitinho” é algo natural e que faz parte da nossa “cultura”.

Porque VOCÊ, senhor super descolado, não entendeu que, enquanto você desdenha, existem aqueles que lutam para que você possa desfrutar de um mundo um pouquinho melhor.

Ainda que, sinceramente, às vezes eu acho que VOCÊ não merece. Mas ainda assim, a cada ano milhares de pessoas em todo o mundo criam uma nova consciência ambiental, novas relações de consumo e de entendimento do que é ser mais humano. Algumas por UMA hora, outras pela vida toda.

Portanto, ano que vem, deixa de ser besta, levanta o traseiro do sofá, porque apagar UMA luz, por UMA hora pode fazer uma IMENSA diferença na sua vida e na de todos ao seu redor.

ASSINE A UNTITLED!
Cultura geek de verdade!

 

, , , ,

About Adalberto Cesari

Biólogo, especialista em morcegos. Apaixonado por ciência, tecnologia, ficção científica e boa música. Amante da história antiga do mundo e da contemporânea brasileira. Crítico demais, mas otimista ao extremo. Às vezes falo sério, mas penso em memes. E por ser mineiro, consigo ler Guimarães Rosa sem precisar de dicionário.

View all posts by Adalberto Cesari

One Response to “Sobre o Earth Hour e A Mobilização Popular”

  1. Celina Sparsbrod Says:
    Sua colocação não poderia ser melhor mas é uma pena que o brasileiro não aprenda mesmo que tenha que pagar por isso num futuro próximo…até a próxima enchente em São Paulo…
    Continuem a jogar lixo nas ruas e rios…

    Reply

Leave a Reply